Publicado em Biologia

Doação de órgãos – sim ou não?

IMG_20180315_101949.png

“Doação de órgãos – sim ou não?” é um tema controverso que, para ser discutido em profundidade ao ponto de se poder ter acesso a toda a informação que pode suportar uma tomada de decisão, tem de ser tido em conta argumentos de natureza muito diversa. A discussão foi promovida pela turma C1 do 12.º ano, no dia 15 de março de 2018, no contexto da disciplina de Biologia e contou com a presença de elementos da autarquia e do ensino superior. Em role-playing, assumindo papéis de médicos, de advogados, de crentes em diversas confissões religiosas, de psicólogos, de familiares de vítimas…, foi possível abordar a doação de órgãos de diferentes pontos de vista e obter o esclarecimento necessário à tomada de decisão fundamentada.

O debate foi animado ao ponto da plateia quase esquecer que no painel de discussão estavam apenas alunos (bem preparados, é certo!), mas que não eram efectivamente médicos, advogados, psicólogos…

Os alunos animadores da discussão saíram da sessão com a experiência de uma ação de cidadania junto da comunidade escolar e aperceberam-se de que é neste tipo de acções que esta competência se desenvolve.

Parabéns a todos os envolvidos

Arlete Cruz

Anúncios
Publicado em Física

O som a ser visto e ouvido

CAM00169.jpg

Numa aula de Física do curso profissional de Eletrónica e Computadores, os alunos analisam o som, batendo palmas, ouvindo o tic-tac de um relógio através de tubos estreitos e de tubos compridos e observam a diferença, ouvem a música do telemóvel que viaja através do tubo grande, registam as observações que fazem e tiram conclusões.

Com algum divertimento, mas com a necessária concentração, analisam a natureza ondulatória do som e estudam as características das ondas longitudinais, como as do som, e também as das transversais. Verificam que uma onda transporta energia, mas não transporta matéria e fazem-no com uma tina com água onde provocam uma perturbação e veem que um pedacinho de cortiça só sobe e desce, não se deslocando nas direções de propagação da onda.

Com elásticos mais esticados ou menos esticados, estudam a frequência do som que produzem ao vibrar e associam a frequência de vibração à tensão dos elásticos e relacionam com algo que alguns conhecem bem – as cordas de uma guitarra.

Com diapasões a vibrarem ao mesmo tempo, verificam zonas de interferência destrutiva e construtiva.

Estão focados nas tarefas e “veem” o som com outros olhos e outros ouvidos.

Aulas com dinâmica e em que os alunos mostram que afinal é bom aprender.

Parabéns aos alunos e professora.

Arlete Cruz

Publicado em Ciência na escola, Física, Matemática

Como medir o raio da Terra?

No dia 21 de março, em época do equinócio da primavera, alunos do 11.º ano de ciências e tecnologias reuniram-se no pátio da escola para responderem ao desafio “Como medir o raio da Terra?”. Seguiram um método com mais de dois mil anos, o de Eratóstenes.

Orientados por um guião, pesquisaram e construíram um plano experimental que, depois de discutido e validado pelas professoras de Matemática A e de Física e Química A, foi posto em prática. Consistia em medir, ao meio dia solar, o comprimento da sombra de uma haste colocada perpendicularmente ao solo. Este comprimento e o da haste haveriam de fornecer os dados necessários à determinação do perímetro da circunferência meridional da Terra ou do raio da Terra.

Foi uma atividade que envolveu um trabalho interdisciplinar entre a Matemática A e a Física e Química A, permitindo aos alunos a noção de conhecimento integrado, além de uma oportunidade de valorizar a memória da Humanidade numa dimensão que identifica o homem e o distingue dos outros animais – a do conhecimento.

Arlete Cruz

Publicado em Revista de Ciência Elementar

N.º 6 da Revista de Ciência Elementar

v6n1-1x.jpg

Acabou de sair mais um número ( 6.º) da Revista de Ciência Elementar, onde pode encontrar temas como a última Cimeira do Clima, as lagoas alpinas, espécies invasoras, líquenes e o magnetismo no dia-a-dia, entre muitos outros. A Revista de Ciência Elementar está disponível na Biblioteca e na Sala de Professores e pode também ser consultada online gratuitamente, em formato ePub e pdf.

Publicado em Biologia

Doação de órgãos – Conferência

Image3

Doar órgãos PORQUÊ… e para QUÊ? foi o tema da palestra realizada na ESLC no dia 7 de fevereiro pela Dra. Ana Paula Fernandes e integrada na disciplina de Biologia de 12º ano de escolaridade.

Os argumentos científicos, legais e éticos, a favor da doação de órgãos e tecidos foram excelentemente apresentados pela oradora, e constituíram uma mais-valia para a formação dos nossos alunos. Como criar órgãos e tecidos em laboratório ainda não é possível. Terá de ser a sociedade civil a decidir o que quer fazer dos seus órgãos quando partir. Só cidadãos informados podem tomar decisões fundamentadas.

Os alunos presentes foram unânimes na importância que atribuíram à atividade que consideraram muito pertinente e esclarecedora.

A doação de órgãos é um assunto urgente e de extrema importância. Ao assumirmos este compromisso estamos a doar não só órgãos mas também VIDAS.

O que é importante deve ser dito em vida! Diga ao mundo que é um dador.

Celeste Santos

Publicado em Ciência na escola, Física, Geologia

E se Rio de Mouro tremer?

Image2.png

A 7 de fevereiro de 2018 tivemos a honra de receber na Secundária Leal da Câmara dois ilustres convidados. Acederam ao convite para virem partilhar connosco a sua obra e o seu saber na conferência “E se Rio de Mouro tremer?”. Trata-se do escritor Domingos Amaral que escreveu “Quando Lisboa tremeu”, romance que se desenrola no cenário do terramoto de 1755 em Lisboa, e o Professor Doutor Paulo Fonseca, geólogo na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Foi uma sessão em que a ciência e a literatura se fundiram e deram lugar a uma reflexão sobre o risco e o perigo sísmico da região de Lisboa e também de Rio de Mouro.

A comunidade de leitores da Biblioteca leu o livro de Domingos Amaral e alunos de 11º ano de CT trabalharam o tema dos sismos em aula interdisciplinar entre a Física e Química A e a Biologia e Geologia. Tinham muitas questões a colocar. Foi curto o tempo para debate, mas saíram seguramente mais ricos.

A sessão foi divulgada em streaming aqui, atendendo ao interesse demonstrado por diferentes turmas que não tiveram oportunidade de lá estar no auditório e por ser de interesse público. Pudemos contar com a presença de responsáveis e técnicos da Câmara Municipal de Sintra, da Junta de Freguesia e do Agrupamento de Escolas Leal da Câmara.

Um agradecimento muito particular aos dois oradores, escritor Domingos Amaral e Professor Paulo Fonseca.

Arlete Cruz

 

Palestra

Publicado em Ciências Naturais

PAISAGENS GEOLÓGICAS EM MAQUETAS??

Para estudar as “Paisagens Geológicas”, foi proposto aos alunos, nas aulas de CN do 7.º ano, a realização de um trabalho de pesquisa sobre uma paisagem geológica à sua escolha. Nesse trabalho, os alunos tinham de descrever a história da sua formação, tipos de rochas e outros materiais que formavam a referida paisagem, sua localização mais comum e, no final, elaborar uma pequena maqueta dessa paisagem com a respetiva legenda.

Eis aqui os resultados neste pequeno vídeo.

Trabalhos de CN das turmas do 7.º ano da professora Lurdes Ferreira

Publicado em Cidadania

Guiões de Educação Género e Cidadania

Estes documentos de orientação pedagógica constituem uma iniciativa da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), apoiada pelo POPH, através do Eixo 7 – Igualdade de Género, ao nível da sua conceção e da sua publicação e apoiada, pela Direção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC), que validou a adequação do seu conteúdo ao currículo e às orientações curriculares do Ministério da Educação.

Pré-escolar

1.º Ciclo

2.º Ciclo

3.º Ciclo

Publicado em Uncategorized

Exposição da Semana da Ciência na PAN

É Semana da Ciência na Padre Alberto Neto e, no pavilhão central, o espaço é pouco para tanta produção. Ali respira-se um pouco do que envolveu os alunos nas aulas da área das ciências, seja da área da Biologia, ou da Geologia ou da Física ou ainda da Química, desde os mais pequenitos do 5.º ano aos já crescidos, e prestes a sair da escola, do 9.º ano. Os temas vão desde os animais, as plantas, o aparelho digestivo, respiratório humanos, às rochas, às formações rochosas, calcárias, vulcânicas, modelos moleculares,… e não esqueceram a sustentabilidade do planeta e das cidades. De tudo isto há cartazes, muitos. Mas, sobretudo maquetes, muito ricas, originais, cheias de cor e plenas de vida. Vida, sim, a dos alunos que, empenhados, as construíram.

A acompanhar, uma bela feira de minerais a enriquecer o espaço e o conhecimento dos alunos que visitam as exposições.

A ciência e a biblioteca a trazerem conhecimento que contribui para o desenvolvimento adequado da cidadania.

Parabéns aos alunos da PAN e aos seus professores de Ciências Experimentais!

Excelente!

Aqui fica um pequeno vídeo sobre a exposição,

Arlete Cruz

Publicado em Física, Química, Semana da Ciência

Laboratórios abertos na PAN – Semana da Ciência

received_10214151502035208
Pega monstros, escrita invisível, o lenço que arde, encher balões sem soprar, o cabelo do Einstein, materiais bons e maus condutores de eletricidade e molas saltitonas, … a física e a química a animar os momentos de laboratórios abertos na Padre Alberto Neto, atividade integrada na Semana da Ciência. Alunos de 3.º ciclo motivados, cheios de curiosidade e com vontade de “pôr a mão na massa” e professores que, esquecendo o cansaço, se entusiasmam com a alegria estampada no rosto dos seus alunos, que não hesitam em dizer que para o próximo ano querem mais.

Parabéns a todos! Foi um sucesso!

Arlete Cruz