Publicado em Ciência na escola, Física, Matemática

Como medir o raio da Terra?

No dia 21 de março, em época do equinócio da primavera, alunos do 11.º ano de ciências e tecnologias reuniram-se no pátio da escola para responderem ao desafio “Como medir o raio da Terra?”. Seguiram um método com mais de dois mil anos, o de Eratóstenes.

Orientados por um guião, pesquisaram e construíram um plano experimental que, depois de discutido e validado pelas professoras de Matemática A e de Física e Química A, foi posto em prática. Consistia em medir, ao meio dia solar, o comprimento da sombra de uma haste colocada perpendicularmente ao solo. Este comprimento e o da haste haveriam de fornecer os dados necessários à determinação do perímetro da circunferência meridional da Terra ou do raio da Terra.

Foi uma atividade que envolveu um trabalho interdisciplinar entre a Matemática A e a Física e Química A, permitindo aos alunos a noção de conhecimento integrado, além de uma oportunidade de valorizar a memória da Humanidade numa dimensão que identifica o homem e o distingue dos outros animais – a do conhecimento.

Arlete Cruz

Anúncios
Publicado em Ciência na escola, Física, Geologia

E se Rio de Mouro tremer?

Image2.png

A 7 de fevereiro de 2018 tivemos a honra de receber na Secundária Leal da Câmara dois ilustres convidados. Acederam ao convite para virem partilhar connosco a sua obra e o seu saber na conferência “E se Rio de Mouro tremer?”. Trata-se do escritor Domingos Amaral que escreveu “Quando Lisboa tremeu”, romance que se desenrola no cenário do terramoto de 1755 em Lisboa, e o Professor Doutor Paulo Fonseca, geólogo na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Foi uma sessão em que a ciência e a literatura se fundiram e deram lugar a uma reflexão sobre o risco e o perigo sísmico da região de Lisboa e também de Rio de Mouro.

A comunidade de leitores da Biblioteca leu o livro de Domingos Amaral e alunos de 11º ano de CT trabalharam o tema dos sismos em aula interdisciplinar entre a Física e Química A e a Biologia e Geologia. Tinham muitas questões a colocar. Foi curto o tempo para debate, mas saíram seguramente mais ricos.

A sessão foi divulgada em streaming aqui, atendendo ao interesse demonstrado por diferentes turmas que não tiveram oportunidade de lá estar no auditório e por ser de interesse público. Pudemos contar com a presença de responsáveis e técnicos da Câmara Municipal de Sintra, da Junta de Freguesia e do Agrupamento de Escolas Leal da Câmara.

Um agradecimento muito particular aos dois oradores, escritor Domingos Amaral e Professor Paulo Fonseca.

Arlete Cruz

Publicado em Ciência na escola

Prémio Fundação Ilídio Pinho

miniPremioFIPCE1718vertical2

O Agrupamento de Escolas Leal da Câmara tem o prazer de felicitar o grupo de cinco alunos do 12.º ano, com a opção de Física, e o Prof. António Proença, por terem recebido o prémio do 5.º escalão no contexto da sua candidatura ao Prémio Fundação Ilídio Pinho com o projeto “Nas asas do Bluetooth”. O valor de 500 euros atribuído como prémio destina-se ao desenvolvimento do projeto.

Esperamos acompanhar este projeto que envolve um casamento de ciência com a tecnologia e proporciona aos alunos o desenvolvimento de competências que só em trabalho de projeto se podem desenvolver.

Desejamos as maiores felicidades a toda a equipa de alunos empreendedores e professor.

Parabéns!

Arlete Cruz