Laboratórios abertos na PAN – Semana da Ciência

received_10214151502035208
Pega monstros, escrita invisível, o lenço que arde, encher balões sem soprar, o cabelo do Einstein, materiais bons e maus condutores de eletricidade e molas saltitonas, … a física e a química a animar os momentos de laboratórios abertos na Padre Alberto Neto, atividade integrada na Semana da Ciência. Alunos de 3.º ciclo motivados, cheios de curiosidade e com vontade de “pôr a mão na massa” e professores que, esquecendo o cansaço, se entusiasmam com a alegria estampada no rosto dos seus alunos, que não hesitam em dizer que para o próximo ano querem mais.

Parabéns a todos! Foi um sucesso!

Arlete Cruz

Anúncios

Ciência nos intervalos da Leal

É dia 17 de novembro de 2017 e a Leal celebra o seu 31.º aniversário. Tem, no seu ADN, a ciência e mostra-a até nos intervalos das aulas e em dia de festa.

A professora Maria Manuel e alunos de turmas do décimo ano e do décimo segundo ano animam a festa de aniversário que, partindo do laboratório, transborda para os espaços exteriores.

O laboratório de química despe-se de luz e veste-se de negro para que possamos observar diversos fenómenos com luz. Vemos reflexões, refrações, reflexões totais, difrações, dispersões e ainda algum divertimento à volta de luminescências. Apreciamos ainda o já tradicional presépio químico.

Os alunos envolvidos brindam-nos com o seu conhecimento e, com o seu entusiasmo, dão luz e cor à festa da Leal, mostrando que “aprender é uma festa”.

Continua assim, Leal.

Parabéns aos cientistas. Parabéns à Leal!

Aqui fica um pequeno filme sobre a atividade:

A Vida Secreta dos Materiais

Obra de Mark Miodownik, editada pela Bizâncio, “A Vida Secreta dos Materiais” foi desvendada por alunos de Química da turma 12.º C3, sob orientação da professora Rosália Vicente. Trata-se de uma obra que foi eleita pela Royal Society of London como o melhor livro de ciência de 2014.

O projeto apresentou-se como um cenário de aprendizagem que teve como pano de fundo os princípios orientadores do programa de Química do 12.º ano: Ensinar Química como um dos pilares da cultura do mundo moderno, para o dia-a-dia, como forma de interpretar o mundo, para a cidadania, para compreender a sua inter-relação com a tecnologia; para melhorar atitudes face a esta Ciência, por razões estéticas e para preparar escolhas profissionais.

O nosso mundo é formado por diversas matérias e materiais e, afinal, quais serão as histórias estranhas que existem por detrás de cada um deles? Em muitos deles (quase todos) há um autêntico milagre de arte, criatividade e design. Da simples chávena de chá ao mais complexo motor a jato. Dez importantes capítulos da obra lidos com interesse para depois, com igual interesse, dar oportunidade a que a imaginação e o conhecimento tivessem a sua máxima expressão. No final, como resultado do trabalho desenvolvido, a participação no concurso de fotografia “A Vida Secreta dos Materiais” e na mostra de modelos tridimensionais associados ao material que cada grupo escolheu trabalhar.

A qualidade do trabalho desenvolvido mereceu destaque, tendo sido oferecidos alguns prémios aos alunos envolvidos.

Parabéns a todos.

Pipocas com telemóvel e a pseudociência

unnamed (1)

Uma das finalidades do programa da disciplina de Física e Química A é “Proporcionar aos alunos uma base sólida de capacidades e de conhecimentos da física e da química, e dos valores da ciência, que lhes permitam distinguir alegações científicas de não científicas, especular e envolver-se em comunicações de e sobre ciência, questionar e investigar, extraindo conclusões e tomando decisões, em bases científicas, procurando sempre um maior bem-estar social.”

Com base numa obra de divulgação científica, Pipocas com telemóvel e outras histórias de falsa ciência, de David Marçal e Carlos Fiolhais, editado pela Gradiva, alunos das turmas 10ºC1 e 10ºC3 foram desafiados a realizarem um pequeno vídeo acerca de uma das histórias que leram. Recorrendo à leitura da obra, a outras pesquisas, a evidência científica ou ainda, em alguns casos, ao humor, desmontaram aldrabices científicas que abundam na net ou na publicidade com que somos bombardeados com o fim de contribuir para lucros que grandes empresas pretendem alcançar.

Muitos destes pequenos vídeos, realizados com tanto entusiasmo, demonstram que algum caminho no desenvolvimento do pensamento crítico já foi feito. Espera-se que continuem com a lanterna do conhecimento acesa para que contribuam para uma sociedade esclarecida.

Departamento de Ciências Experimentais do AELC

Moedas de 5 cêntimos e gotas de água

Nas últimas semanas de aulas do 1.º período e do 2.º período, aconteceram workshops do projeto “+ Ciência na Leal” com a designação “Moedas de 5 cêntimos e gotas de água”, em que se trabalharam competências associadas à natureza da ciência. Mais concretamente, utilizando a metodologia de Inquiry, os alunos perante o problema “Quantas gotas de água consegues colocar em cima de uma gota de água?” tiveram de observar as variáveis que influenciavam o resultado, planear a experiência de modo a controlar essas variáveis, experimentar, interpretar e concluir.
Com uma situação bem simples, foi possível explicitar o modo como um cientista tem de trabalhar quando faz investigação.
O interesse demonstrado pelos cerca de 40 alunos envolvidos nos dois workshops, deixa pensar que este é o caminho da educação em ciência no século XXI.
O Grupo de Física e Química

A Química e os desafios da sociedade

“A Química e os desafios da sociedade” foi o tema que trouxe o Professor João Paiva da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto numa sessão organizada em parceria com a Texto Editores e que aconteceu na passada terça-feira, dia 10 de janeiro, no auditório da Escola Secundária Leal da Câmara. Com humor, estratégias simples, mas usadas com grande habilidade, o orador prendeu a atenção da audiência composta por alunos de Química do 12.º ano e também de Física e Química A do 11.º ano. O tema era, no entanto, suficientemente pertinente para interessar a quem quer que estivesse presente. O Professor João Paiva passou por diversos materiais absolutamente imprescindíveis à sociedade de hoje e que não existiriam sem a Química. Fez assim a chamada para o estudo desta área do saber para que a sociedade continue a evoluir, mas também a resolver os problemas que, entretanto, se têm criado. Valeu a pena!


Muito bom momento!
O Grupo de Física e Química